Essa partilha é baseada nesse áudio. Ela foi levemente editada para uma leitura mais fluida. Você perceberá as alterações.

Hoje, eu vou falar sobre o que é paciência e perdão. Qual é a diferença na perspectiva de diferentes culturas, diferentes religiões e diferentes filosofias? Em geral, perdão é algo que é considerado uma boa qualidade e nós acreditamos que é importante perdoar. E nem todos conseguem perdoar, apenas aqueles que realmente têm uma qualidade profunda conseguem fazê-lo. Mas a maioria das pessoas não consegue. Mesmo que elas digam que perdoam e mesmo que pareçam perdoar na superfície, ainda, em seus corações, elas não estão realmente perdoando. Então isso é normal. Isso é internacional. Isso é universal.

Mas, de acordo com a cultura tibetana e o Budismo Tibetano, não há realmente uma palavra comum que todos conheçam como perdão. Os tibetanos têm apenas categorias diferentes de paciência. Eles nem mesmo têm palavras diferentes para paciência, tolerância e perdão. Eles apenas dizem diferentes tipos de paciência. Em inglês isso é bem claro. Em lugares onde o Cristianismo é dominante, o perdão está incutido na cultura onde ele é tido como um ideal e algo que todos consideram que a maioria das pessoas devem fazer. Qualquer pessoa que não consiga perdoar é rapidamente julgada como muito ruim. Mas em outras culturas, as pessoas não são tão rápidas em julgar aquelas pessoas que não conseguem perdoar. Em algumas culturas as pessoas que não conseguem perdoar e mesmo aquelas que buscam se vingar ou lutar são julgadas e vistas como tendo uma boa qualidade.

A principal coisa que eu quero conversar hoje é a questão: o perdão é bom para todo mundo, todo o tempo, a despeito das condições? Vamos examinar isso hoje. Então a resposta é sim, em geral, que as pessoas sejam capazes de perdoar é uma qualidade realmente boa. Eu concordo. Mas não é verdade que em todos os casos, todo tempo, em qualquer situação, qualquer circunstância devemos perdoar, ou é? Essa é uma pergunta.

Por exemplo, quando nós dizemos perdoar, isso significa mostrar definitivamente que as ações das outras pessoas são ruins, elas fizeram algo de errado. Então o perdão implica que não há reação a alguém fazer algo de errado. Então, deveria ser assim todo tempo, em qualquer situação? A resposta é não. Nós temos que pensar sobre porquê essa pessoa está fazendo coisas ruins e qual exatamente é o grau de ruim? Por que nós perdoamos e qual é o benefício do perdão? Nós temos que considerar tudo isso.

Primeiramente, quando as pessoas fazem coisas ruins para as outras, existem graus. Pode ser ruim, ruim médio, ou extremamente ruim.

As pessoas comuns, normais, não conseguem perdoar todos esses graus. Elas sempre têm uma reação, raiva e ódio. Mas se nós desenvolvemos uma boa qualidade, uma boa consideração, uma visão ampla e um pouco de sabedoria, mesmo alguma compaixão, então nós podemos ver se é realmente necessário reagir ou não reagir. Isso significa que algumas ações ruins não são realmente prejudiciais. Normalmente o que as pessoas comuns pensam que é prejudicial não é realmente prejudicial quando você considera em um nível mais profundo.

Algumas circunstâncias podem ser muito fáceis e simples de perdoar e todos deveriam perdoar nesses casos. Em alguns casos onde é muito fácil perdoar, algumas pessoas não estão realmente perdoando. Elas estão ignorando ou não se importam (o suficiente para reagir). Quando não há consequências, todos podem fazer isso. 

Por exemplo, se sem qualquer consideração profunda, você acha que é ruim, mas não é realmente. Alguém diz que você é feio, que você está com uma aparência ruim, ou algo assim. As pessoas podem ver se você realmente está com a aparência ruim ou não, se você está feio ou não. É fácil ver através das pessoas, num nível óbvio dos cinco sentidos, é fácil detectar quando você está dizendo que algo, julgando algo como muito pior do que aparenta. Essas coisas são fáceis de perdoar se você tem um pouco de sabedoria, uma visão um pouco mais ampla. Nós não temos que reagir. As outras pessoas podem ver que aquela pessoa está errada e você está certo. Você permanece em paz e sábio por não reagir. Então essas situações podem ser fáceis de perdoar e todos devem fazê-lo sem questão.

No entanto, existem alguns atos ruins que tem efeitos prejudiciais médios. Eles são temporariamente prejudiciais, mas não a longo prazo. A longo prazo, eles podem até ser benéficos ou podem ser pouco prejudiciais, ou podem se tornar nada. É imprevisível. No momento eles parecem temporários e podem ser um pouco prejudiciais.

Isso pode ser um pouco mais difícil de perdoar, mas se você considerar cuidadosamente, na maioria das vezes é bom perdoar. E se você for capaz de perdoar, isso significa que você é corajoso. Sabe, quem quer que consiga perdoar é gentil e isso é um sinal de bravura. Não é apenas ser gentil, não é apenas ser paciente, mas também ser corajoso. E é também um sinal de sabedoria.

Então existem ações muito ruins com consequências muito prejudiciais. Temporariamente prejudiciais, mas também prejudiciais a longo prazo. Para esses tipos de ações, não é necessariamente a melhor coisa perdoar todo tempo, em qualquer circunstância. Não é assim. Não é tão simples. Você tem que considerar essas circunstâncias muito cuidadosamente. Então, quando eu falo que não é necessário perdoar, eu estou falando das ações. Na mente você sempre tem que ter algum grau de perdão, o que é sempre bom. Isso significa que você não fica preso no ressentimento e raiva e ódio. Isso é sempre bom.

Mas no nível da ação, nem sempre é necessário perdoar. Por quê? Porque se você perdoar tudo, não importa o nível, o grau da ação, não importa as consequências da ação e as circunstâncias, você sempre apenas não faz nada, nenhuma reação, isso às vezes é bom, mas às vezes essas pessoas podem ser corrompidas. Elas podem fazer coisas cada vez piores. Por quê? Porque elas são, hum, como vocês chamam aquela palavra? Não é mimado, mas é parecido. Assim, isso reforça uma hábito ruim, onde elas pensam que podem fazer qualquer coisa com qualquer um. Isso é um erro.

Se elas tratarem todo mundo assim, temporariamente elas prejudicam muitas pessoas e a longo prazo prejudicam completamente a si mesmas. Então é por isso que seria gentil desafiar as ações delas, onde elas podem aprender uma lição. Se isso puder ensinar a elas uma lição. É muito importante que sua motivação seja correta. Sua motivação tem que estar baseada em amor e gentileza.

Mas isso não significa que necessariamente o seu comportante vai ser gentil como um beijo. Você pode assumir o que pode parecer uma ação muito dura, uma ação muito desafiadora que vem de um lugar de gentileza e compaixão. Então você pode fazer isso. Isso significa que quando alguém faz algo prejudicial, você precisa pensar sobre o grau do dano. Quais são as consequências do dano, para você, para os outros e para a pessoas criando o dano.

E então, você tem que reagir ou não reagir, reação diferente ou não reação. Você tem que fazer algo adequado para uma dada situação. Se você faz isso, então você está se treinando. Você também está treinando a outra pessoa que tem um hábito ruim de tratar os outros muito mal. Ou talvez a atitude e a motivação dela seja muito egoísta. Ou às vezes ela não tem uma grande motivação, ela só tem ações ruins momentâneas.

Então você precisa discernir o que está acontecendo e então aplicar algo adequado para as circunstâncias específicas. Mas é claro, sempre sua motivação deve estar baseada em amor, compaixão e gentileza. Isso quer dizer que a ação física, a ação do corpo, da fala podem não parecer gentis, mas isso não quer dizer que a motivação por detrás não seja gentil e amorosa. Isso é preciso lembrar e estar atento para isso, todos nós. E o mais importante, nós precisamos focar e enfatizar nossa mente e nossa motivação. Ela está baseada em amor, compaixão e gentileza? Sim ou não? Esse sempre deveria ser nosso foco. Não o foco 100% no corpo e na fala, tanto do receptor quanto de quem realiza a ação.

É claro, se há opção, mesmo no nível físico a ação e fala gentis são as melhores opções, mas às vezes isso não é adequado. Essa pode não ser a opção porque a pessoa não responde a essas coisas. E se você tomar ações iradas, surpreendentes, talvez ela responda.

É por isso que no Vajrayana, no Tantra, de acordo com o Tantra, quando nós dizemos “tamyam”, isso quer dizer alguém que quebrou o samaya sagrado, que significa que o compromisso sagrado foi quebrado, nesse caso nós não devemos ter contato com eles.

As pessoas frequentemente compreendem mal e pensam “Oh! Nós não os perdoamos, não estamos perdoando”. As pessoas pensam assim. Esse é um grande erro. Por quê é um grande erro? Porque o Tantrayana são os ensinamentos, práticas e compromissos mais profundos. É por isso que os compromissos sagrados resultam em benefícios incríveis e poderosos. Mas ao mesmo tempo, se você fizer o oposto, eles também têm consequências poderosamente prejudiciais.

Quando alguém quebra seus votos de samaya de propósito, com desrespeito, isso é um problema sério. Você sabe que quebrou o voto, você sabe que isso é desrespeitoso, mas ainda assim você faz e critica seu professor sagrado, você critica seus irmãos sagrados, a sangha, a comunidade, você critica o precioso Dharma, os ensinamentos sagrados. Se você faz isso e nós pensamos “Oh! Nós temos que perdoar o que quer que você esteja fazendo” e continuamos sendo amigáveis com você, haverá dano para ambos os lados.

Por quê? Porque um lado é sagrado e outro é o oposto. Então se você continua se conectando com eles, então sua sacralidade, os ensinamentos e compromissos sagrados, tudo se torna manchado. Há uma má influência. Quando eu digo má influência, agora eu não estou falando do nível óbvio. O nível óbvio de influência é também possível, mas é uma má influência sutil. Algo que nós não conseguimos ver com nossos olhos e com nossa mente. Ainda assim, está ali. Isso é realmente possível. Porque o universo inteiro, material, tudo, mesmo de acordo com a ciência, nós não conhecemos o nível sutil das coisas mas ainda assim há algo acontecendo. Existem muitas energias, muitos poderes. Tem muita coisa acontecendo todo tempo. Nós não podemos ver e não podemos sentir, mas algo está acontecendo. De forma similar, de acordo com essa prática, com esse compromisso sagrado e essa prática sagrada, se você se mistura com o lado oposto ao das pessoas sagradas, isso tem uma influência ruim sobre sua prática, seu progresso espiritual e suas realizações podem ser atrasadas. De fato, é ainda um karma pior para a outra pessoa, mais prejudicial. Por isso é melhor ficar longe. Fisicamente ficar longe. Não partilhar corpo, fala e pensamentos. Mas ainda assim você pode ter compaixão. Você ainda pode ter amor. Você ainda pode ter gentileza em sua mente.

Isso quer dizer que você não desiste dessa pessoa para sempre, mas você desiste temporariamente. Isso não é uma contradição. No Vajrayana você não pode desistir nem mesmo de um único ser senciente, de o liberar no estado búdico, iluminado, nem mesmo no Mahayana, você não abandona um único ser senciente. Mas ao mesmo tempo, você tem que se desconectar temporariamente desse tipo de pessoa que deliberadamente quebra seus votos de samaya sem nenhuma tentativa de repará-los, você tem que se desconectar como parte da prática do Vajrayana.

Se você não se desconecta, então você está quebrando seus próprios votos, seus próprios compromissos sagrados. Então você se torna similar àquela pessoa que é o oposto da pessoa sagrada. Então se você não quer perder essa sacralidade, se você não quer perder essa santidade, você tem que se distanciar do corpo, fala e pensamento corrupto.

Você pode dar muitas lições, lições desafiadoras, se isso ajudar a outra pessoa a se dar conta do dano que causou. Felizmente ela será capaz de se dar conta de seus erros e se arrepender. Naquele ponto ela estará pronta para recomeçar. Isso quer dizer que essa pessoa tem que demonstrar, confirmar essa realização, esse arrependimento profundo, ela tem que mostrar através de suas ações à sangha. Se ela age assim, então a sangha e o professor sagrado, todos podem entrar em negociação. Apenas naquele momento, se ela tiver feito voluntariamente todo o processo de purificação, pode haver reconexão com a sangha sagrada.

Mas até então (que haja a expressão de arrependimento e engajamento na purificação), você tem que se desconectar. Se essa pessoa não está pronta nessa vida para reparar o samaya e morrer, você tem que se manter desconectado. E você sempre reza que ela esteja pronta para a próxima vida ou a vida seguinte imediata ou em 10 vidas. Você tem que rezar, todos, a sangha inteira.

Todos na sangha que partilham o mesmo professor, que partilham a mesma linhagem, que partilham o mesmo empoderamento, que partilham os mesmos textos sagrados e o que mais partilharem; essas pessoas tem uma responsabilidade eterna. Essa responsabilidade e compromisso é eterno, não apenas temporário. Temporariamente, não é bom para ambos os lados. As pessoas frequentemente compreendem isso mal porque as pessoas têm julgamentos muito simplistas. Elas têm uma forma simplista de julgar aquilo que é muito complicado. Uma forma simplista de julgar coisas muito profundas. Por isso as pessoas compreendem mal.

O Dharma profundo se torna mais e mais profundo. Mais e mais complicado para as pessoas comuns. Para as pessoas sagradas mais e mais profundo quer dizer que faz mais e mais sentido. Mas para as pessoas comuns mais e mais profundo quer dizer mais e mais complicado. Então todos nós temos que entender isso.

E então nós temos que ver que tipo de ação toma lugar. Deveríamos perdoar? Que tipo de ação nós não perdoamos? O que quer dizer no nível óbvio de corpo, fala e mente. Na mente é claro nós sempre perdoamos. Mas nas ações de corpo e fala, não. Uma forma simples de dizer isso é que em sua mente você sempre perdoa. O que isso quer dizer? Você sempre perdoa quer dizer que você é sempre gentil e compassivo. Você se importa, realmente se importa pelo bem estar espiritual dos outros. Mas no nível humano, ação de fala e corpo, você tem que se distanciar (quando os votos de samaya são quebrados), você tem que manter distância. Você não pode ser como antes. Você não pode ser como com as pessoas sagradas, as pessoas da sangha real. Você tem que se distanciar.

Então nessas coisas, se você pensar muito cuidadosamente, então você compreende em um nível mais profundo. Não é tão simples quanto perdoar ou não perdoar, preto e branco. Então em todas as circunstâncias do que eu disse, você precisa pensar cuidadosamente, então tente entender a todos e isso se torna muito útil.

© Copyright 2017 Shar Khentrul Jamphel Lodrö